Vale a pena financiar a graduação?

Se você está sem grana para entrar na faculdade e quer saber se vale a pena financiar a graduação, nesse artigo iremos falar justamente sobre isso.

Infelizmente, a realidade brasileira de pessoas que possuem o Ensino Superior não é alta. Pelo contrário, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nem 20%  dos brasileiros têm nível superior.

Dessa forma, financiar a graduação pode ser a grande solução para quem não conseguiu passar em um concurso para a faculdade pública. 

As altas mensalidades dos cursos de graduação podem ser inviáveis para grande parte da população.

Imagine um curso onde a mensalidade seja de R$1000, por exemplo, o investimento em quatro anos seria de mais de R$45.000, sem falar dos custos com livros, passagens.

Agora pense em um curso para medicina onde as mensalidades chegam a R$10.000,00 em algumas universidades.

O financiamento estudantil pode ser uma opção para conseguir o diploma de nível superior. Mas, será que realmente vale a pena?

Financiar a graduação pelo Governo ou Particular?

Existem diferentes formas de financiar o seu curso de Ensino Superior

Pelo Governo existe a opção do FIES e de forma particular existe, por exemplo, o PraValer e os Bancos como Santander e Bradesco.

FIES

É um programa do Governo Federal onde o aluno de baixa renda pode financiar a sua graduação, pagando o valor que pegou de empréstimo, apenas depois que se formar.

Há 3 tipos de FIES. Um direcionado para pessoas que moram nas regiões Norte, Nordeste e Centro Oeste, outro para qualquer região do Brasil mas que a renda familiar seja até 3 salários mínimos e outro até 5 salários mínimos.

Dependendo da região que o aluno more e de sua renda familiar o tipo de FIES que ele tem direito muda.

Mas, ainda é necessário passar por uma seleção do FIES, já que as vagas são limitadas.

O que é necessário para aderir ao FIES? 

O estudante deve ser participado de pelo menos uma edição após a de 2010 do Exame Nacional do Ensino Médio, ou seja, o ENEM. Além disso, precisa ter tirado como pontuação, pelo menos, 450 pontos e não pode ter recebido nota 0 na redação.

Mas, não será aceito no programa quem já usou o FIES, está inadimplente com o Programa de Crédito Educativo (PCE/CREDUC) ou tenha orçamento bruto mensal acima do permitido.

Financiamento Particular

Financiar a graduação de forma particular é fazer uso de Instituições Bancárias ou Privadas para realizar o financiamento estudantil.

Isso pode ser feito através do Banco Bradesco, por exemplo. Neste programa, é possível financiar o semestre em até 100% o valor da mensalidade do curso.

O programa PraValer também é uma outra opção, nele é possível financiar até 50% da mensalidade.

Dessa forma, é possível ver que há diferentes formas de financiamento, mas atente-se ao juros dos Bancos, eles não costumam ser baratos.

Então, financiar a graduação, vale a pena?

De uma maneira geral, sim vale a pena financiar a graduação.

Isso porque, é super importante, que você conclua o seu sonho de realizar uma faculdade, fazer o curso de seu interesse.

Mas, é importante também, que você coloque na ponta do lápis todos os seus custos e verifique se realmente há a necessidade de realizar um financiamento.

Se a resposta for sim, priorize o FIES que possui juros menores e um prazo maior para quitar a dívida.

Porém, se o FIES também não for viável para você, procure as Instituições financeiras e veja se você precisará financiar apenas 1 semestre ou a faculdade inteira.

Ficou alguma dúvida? Não deixe de comentar!